domingo, fevereiro 28, 2010

PEGADA HÍDRICA DE PORTUGAL

WWF apela: Portugal deve envolver-se em iniciativa internacional
para a certificação da gestão responsável da água

Lisboa, Portugal – A WWF, organização global de conservação de natureza, divulga hoje o
seu mais recente relatório “Pegada Hídrica em Portugal”, que evidencia Portugal como sendo
um dos países com a pegada hídrica mais elevada por habitante. O estudo conclui ainda que a
elevada pegada hídrica portuguesa se deve à pouca eficiência do sector agrícola nacional, à
dependência dos bens agrícolas que importamos, principalmente de Espanha e às diferenças
geográficas internas, com problemas de escassez de água a sul, em particular na bacia do
Guadiana.
Outra das principais conclusões do relatório da WWF é que para alcançar uma gestão eficiente
da água e a consequente redução da pegada hídrica de Portugal, é necessário acrescentar
uma nova dimensão ao problema: a água virtual, ou seja, a que é necessária à produção dos
bens que consumimos. Assim, para melhorar a eficiência do uso da água é importante, por um
lado, conhecer a equação relativa ao consumo directo – quem, onde e como se consome mais
água –, e em simultâneo perceber a equação do consumo indirecto – quem, onde e como se
produzem os bens que importamos e que utilizam água nessa produção. O objectivo é que os
consumidores optem, tendencialmente, por produtos com menor conteúdo de água virtual,
evoluindo gradualmente nos seus padrões de consumo para padrões mais responsáveis.
“Consideramos urgente que Portugal se envolva numa iniciativa internacional para a
certificação da gestão responsável da água que garanta a protecção e o uso sustentável dos
recursos hídricos nacionais”, afirma Afonso do Ó, da WWF, acrescentando que “os cidadãos,
governo e empresas devem envolver-se neste processo para que se garanta o combate ao uso
insustentável da água e que se promova a sua utilização responsável, por forma a revertermos
a situação actual de elevada pegada hídrica nacional.”
O relatório evidencia que o sector agrícola é o maior responsável pela pegada hídrica de
Portugal, sendo simultaneamente muito pouco eficiente; a WWF afirma que está na altura de
concentrar esforços no incremento da gestão eficiente da água no sector agrícola, reduzindo,
assim, a pegada hídrica portuguesa; Por outro lado, mais de metade da pegada hídrica
portuguesa é externa, ou seja, tem a ver com os bens agrícolas que importamos,
principalmente de Espanha. Este cenário pode ser alterado através do desenvolvimento de
ferramentas apropriadas de certificação da gestão de água, da educação e sensibilização do
consumidor potenciando escolhas pessoais responsáveis; Portugal tem ainda importantes
diferenças geográficas internas que deve ter em conta, com problemas de escassez de água a
sul, em particular na bacia do Guadiana, reconhecida pela WWF como um hotspot de
biodiversidade, onde um vasto sistema de regadio está a ser implementado.
Press Release Para divulgação imediata: 25 de Fevereiro de 2010
31/Março/2009, 00:01 GMT
Para a WWF, o desenvolvimento da ferramenta Water Stewardship é a principal forma de
reduzir a pegada hídrica. O estabelecimento de uma iniciativa internacional para a certificação
da gestão responsável da água, participada pelos cidadãos, empresas e Estados, é essencial
para atingir a protecção e o uso sustentável dos recursos hídricos. A situação de Portugal
reforça a necessidade do envolvimento nacional nesta iniciativa.
O relatório da WWF “Pegada Hídrica em Portugal” e o respectivo sumário executivo estão
disponíveis no website da WWF em Portugal em:
http://www.wwf.pt/o_que_fazemos/planeta_vivo/pegada_hidrica_em_portugal_/

Sem comentários:

Publicar um comentário